Associe-se

“Tenho muito orgulho da minha cor, e vou defender ela”, Edenilson comemora grande atuação contra o DIM

Edenilson brilhou na vitória sobre o DIM/Foto: Ricardo Duarte

Edenilson foi o grande nome da vitória de 2 a 0 do Inter sobre o Independiente Medellín-COL. Autor dos dois gols da partida, disputada nesta terça (17/05) e válida pela quinta rodada da fase de grupos da CONMEBOL Sul-Americana, o meio-campista, que assumiu a artilharia histórica do novo Beira-Rio, concedeu entrevista coletiva após o jogo, na qual falou de sua excelente atuação, é claro, e dos difíceis dias que encarou até o duelo continental. Confira a íntegra:

No último sábado (14/05) durante confronto com o Corinthians, SuperEd foi vítima de injúria racial cometida por Rafael Ramos, atleta adversário. Após relatar, ainda em campo, o episódio para o árbitro, Edenilson também prestaria depoimento e registraria ocorrência junto à Polícia Civil. Mesmo assim, apesar do lamentável episódio que sofrera há poucos dias, o colorado deixou claro, durante a primeira resposta que ofereceu à imprensa depois da vitória sobre os colombianos, que não gostaria de priorizar o tema ao bom triunfo vermelho.

“Se possível, peço que seja somente essa pergunta sobre esse assunto. No momento pós-jogo, não queria nem expor o jogador do Corinthians, nem me expor. Porque sou pai de família, e tenho certeza que ele também tem família. Esse é o meu jeito, tento ver a bondade das pessoas. Apenas quis, e quero, que a verdade venha. Agora, estou deixando para que as autoridades resolvam. Não quero usar desse espaço, que provavelmente ele não vai ter hoje para se defender, para julgar.”

Edenilson
Edenilson concedeu coletiva após a vitória sobre o DIM/Foto: Ricardo Duarte

Atleta colorado desde 2017, Edenilson admitiu que jamais vivenciara uma situação parecida dentro dos gramados. Não bastasse a injúria em si, o camisa oito do Clube do Povo ainda encarou uma série de comentários que questionaram sua versão dos fatos. Assim, ele precisou buscar mais forças do que de costume para brilhar no jogo seguinte – e a necessária injeção de ânimo, como o próprio revelou, foi encontrada nos amigos que tem no Inter.

Foto: Ricardo Duarte

“Confesso que foram dias difíceis, dias estranhos. Não cheguei a falar essa parte, mas fui bastante julgado. Mentiroso e surdo foram algumas das coisas que eu ouvi. É bem complicado você ver os fatos sendo distorcidos. Mas eu estou no Inter há cinco anos, tenho amigos, companheiros, passo mais tempo aqui do que com a minha família, e esses amigos me deram força. Eles me ajudaram a esquecer um pouco. A focar no jogo, a me divertir também, porque isso é importante no futebol.”

Edenilson

Principal expoente da vitória vermelha, Ed tratou de sublinhar a boa atuação coletiva que o Inter teve no Beira-Rio. Dono das melhores chances de gol do jogo, o Colorado pouco sofreu na defesa, que passou mais um jogo sem ser vazada sob o comando de Mano Menezes, e demonstrou a necessária eficiência para marcar gols em uma partida que tinha contornos decisivos. Com o triunfo, afinal, o Clube do Povo chegou à liderança do grupo, ao passo que um revés poderia relegar o time à terceira posição do quadrangular.

Foto: Ricardo Duarte

“Acredito que tenhamos feito um bom jogo, com aquilo que a gente propôs nesses dias de trabalho. Sabíamos que só a vitória interessava para que os resultados que buscamos fora fossem positivos, digamos assim. Pra que a gente pudesse tomar a frente na tabela, e esperamos que isso aconteça. Fico feliz de poder voltar a ajudar com gols, e quando eu não puder ajudar com gols quero ajudar com dedicação, com trabalho, que é o que a gente vem fazendo.”

Edenilson

Edenilson abriu o placar para o Inter aos 18 minutos do primeiro tempo, e comemorou com a melhor resposta possível ao preconceito. Erguido e cerrado, seu punho tomou o Beira-Rio, templo popular, de moldura, e bradou, mesmo que em silêncio, o orgulho do craque por sua cor. Juntos, no Estádio ou de suas casas, colorados e coloradas festejaram o ato acompanhados de uma certeza: na Padre Cacique, nós amamos o Inter e odiamos o racismo!

“Sobre a comemoração, já naqueles minutos finais eu queria ter feito o gol, contra o Corinthians. Fiquei com isso na cabeça, porque tenho muito orgulho da minha cor. Acho que essa diferença que a gente tem é só na cor de pele mesmo. Somos todos iguais no final. Peço até desculpas, sou um pouco leigo no assunto do racismo, nunca fui de me interessar como eu deveria e poderia, e acho que, a partir de agora, depois de sentir na pele como é e como foi, tenho certeza que vou me interessar mais, me expressar mais, e ajudar a defender a minha cor.”

Edenilson
Estamos contigo, SuperEd!/Foto: Ricardo Duarte