Associe-se

Millene vence lesão e pandemia para desencantar pelo Inter no Beira-Rio

Millene Fernandes marcou seu primeiro gol pelo Inter/Foto: João Callegari

Após um ano no exterior, a artilheira do penúltimo Campeonato Brasileiro, quando marcou o maior número de gols em uma única edição do Nacional A1, retornava para o futebol do país. Goleadora nata, protagonista na relação de atletas que mais vezes balançaram as redes na principal competição de clubes do Brasil, Millene era um reforço à altura do Clube do Povo. Felizes, colorados e coloradas contavam as horas para o início da temporada de 2021, ansiosos para torcer pela craque da camisa 14. Até que uma lesão mudou tudo.

Camisa 14 é uma das referências do ataque do Inter/Foto: João Callegari

Natural do município de Cacoal, em Rondônia, Millene foi revelada pelo Atlético-MG, clube que defendeu de 2012 a 2015, quando partiu para o Rio Preto-SP. Fulminante, a caminhada da jogadora por São Paulo contou com título brasileiro logo na primeira temporada, e não demorou para despertar a atenção do Corinthians, que contratou a atacante em 2018, logo após Fernandes levantar a taça do Paulistão.

Autora de cinco gols no Brasileirão de 2017, Millene praticamente dobrou essa estatística no primeiro ano como atleta do Timão. Campeã do país em 2018, a camisa 14 contribuiu com nove tentos na caminhada até o título. O auge individual, porém, chegou na temporada seguinte, quando Fernandes fez história ao marcar 19 vezes na campanha vice-campeã do Brasil, maior número já registrado em uma única edição da elite do futebol nacional.

Millene nos tempos de Parque São Jorge/Foto: Bruno Teixeira/Corinthians

A julgar pela contínua evolução que Millene construía, reconhecida até mesmo com convocações para a Seleção, tudo levava a crer que 2020 seria o melhor ano da já vitoriosa carreira da atacante. Logo no início da temporada, a artilheira, que acabara de ser eleita a craque do Brasileirão passado, decidiu alçar voos internacionais, e partiu para o futebol chinês. No Oriente, entretanto, ela defenderia o Wuhan Xinjiyuan, equipe sediada em cidade que serviu de epicentro para a pandemia de Covid-19.

Artilheira encerrou 2019 com gol pelo Brasil/Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Diante da gravidade da situação, a brasileira decidiu partir de Wuhan e retornar para casa, mas o processo de saída da China não foi fácil. Apenas em março, após semanas de quarentena na Europa, Millene chegou ao Brasil, inicialmente emprestada para o Corinthians, equipe que sequer voltou a defender devido à imediata interrupção das competições nacionais. Já junho, o time detentor do passe da atleta solicitou seu retorno para o Oriente, adiando o reencontro de Millene com os estádios canarinhos.

“Eu teria mais uma temporada na China, mas,

com tudo que estamos vivendo, de muitas incertezas,

optei por ficar um pouco mais próxima da família.

E escolhi o Inter por acreditar no projeto.”

Millene, março de 2021
Atacante chegou ao Inter no início de 2021/Foto: Mariana Capra

Março de 2021, dia dois. Depois da saída de Byanca Brasil, artilheira da temporada recém-encerrada, o Inter anunciava Millene Fernandes para a composição do ataque colorado. No lugar da 9, que partiu para o Santos ocupando o posto de jogadora com mais gols marcados em Brasileirões Femininos – à época 48 -, chegava a 14, que então já somava 46 tentos anotados em todas as edições que havia disputado do Nacional. Consenso em Porto Alegre? A reposição estava mais do que à altura.

“Podem esperar de mim uma atleta muito dedicada,

com sede de dar o melhor e ajudar a equipe.

Venho com muita empolgação!”

Millene, março de 2021

Infelizmente, a euforia com a nova contratada, ao mesmo tempo que grande, foi breve. Pouco tempo após desembarcar em Porto Alegre e antes mesmo da estreia na temporada, Millene sofreu uma grave lesão no ligamento cruzado anterior do joelho direito, que só poderia ser tratada mediante intervenção cirúrgica, resultando em longo período fora de combate. A partir de então, a dedicação prometida pela atleta no momento de sua chegada seria necessária não para brilhar gramados, mas, sim, para vencer os meses de fisioterapia.

Millene (E) e Livia Rodrigues (D): dupla trabalhou forte ao longo de 2021/Foto: João Callegari

E assim fez Millene. Sempre com um sorriso no rosto, símbolo da vontade contagiante que lhe servia de combustível, a atacante encarou os longos meses de recuperação com a cabeça erguida. Dia após dia, de semana em semana, a rondoniana fez por merecer cada novo capítulo desbravado rumo ao retorno aos gramados, dos trabalhos de academia e caminhadas no campo aos primeiros contatos com bola e posteriores atividades ao lado do grupo.

“Tive a lesão, fiquei um ano todo fora, foi muito ruim.

Sofri demais mentalmente,

fiquei muito triste,

mas entendo que faz parte da profissão.

Millene, fevereiro de 2022
Pouco a pouco, Millene buscou a melhor forma/Foto: Joao Callegari

Ao mesmo tempo em que perseguia com obstinação a plenitude física durante os trabalhos da semana, a cada rodada de Brasileirão ou Campeonato Gaúcho a atacante marcava presença nas arquibancadas coloradas para apoiar suas companheiras. Aos 26 anos, Millene também se mostrou uma atleta de grupo, vibrando intensamente com as vitórias que levaram as Gurias à semifinal do país, ao Tri do Rio Grande do Sul e à pioneira participação na Ladies Cup. Mais do que adaptada ao elenco, portanto, a craque iniciou 2022 pronta para voltar a fazer o que mais ama.

“Confesso que

estou ansiosa!”

Millene, em fevereiro de 2022
Pronta para um grande 2022!/Foto: João Callegari

Fevereiro de 2022, dia quatro. No Beira-Rio, as Gurias Coloradas disputavam a primeira partida da história da Supercopa do Brasil, e, em campo, Millene debutava como jogadora do Clube do Povo. Diante do Real Brasília, a camisa 14 participou de 85 intensos minutos, que integraram as quartas de final do torneio eliminatório. Na melhor oportunidade que teve, Fernandes quase marcou um golaço, mas teve lindo chute de perna direita parado pela goleira Dida, heroína da polêmica vitória de 1 a 0 da equipe visitante.

Craque quase estreou com gol/Foto: João Callegari

Verdade seja dita, a estreia poderia ser melhor, e Millene, bem como o restante do elenco, sabia que a evolução dependia apenas das próprias Gurias. Se o jogo contra o Real ocorreu míseras duas semanas após a reapresentação para 2022, agora o calendário vermelho reservava um longo mês de pré-temporada para o Inter, que aproveitou ao máximo o período que antecedeu o começo do Brasileirão.

A rodada de abertura do Campeonato Brasileiro A1 foi disputada com mando do Clube do Povo. No Sesc, as Gurias superaram o Cresspom-DF por 2 a 1, em partida que contou com gols de Lelê e Sorriso para o Internacional. Responsável pelo penúltimo passe na jogada que abriu o placar da tarde, Millene, enfim, vencia a primeira com as Gurias, vitória que logo recebeu a companhia de outra, esta conquistada em cima da Esmac-PA.

Millene (C) comemora com Fabi (D) e Lelê (E) na vitória sobre o Cresspom/Foto: João Callegari

Em Belém, a camisa 14, titular pela terceira vez no ano, superou com naturalidade a elevada exigência do confronto, que foi disputado, especialmente no primeiro tempo, debaixo de intensa chuva. Além disso, ela ainda participou ativamente da trama do segundo dos quatro gols marcados pelo Inter na vitória de 4 a 0, e só não deixou o seu por teimosia da goleira e do destino. Parecia que a hora de desencantar com a camisa colorada ainda não havia chegado, e nós logo entenderíamos o porquê.

“Eu tô muito feliz!

Sonhava com esse momento todos os dias!”

Millene, após enfrentar o São Paulo
Rondoniana também foi importante na segunda vitória/Foto: Alex Daniel/Esmac

Março de 2022, dia 21. De volta ao Beira-Rio, as Gurias Coloradas precisavam vencer o São Paulo para se isolar na liderança e confirmar o melhor início de Brasileirão A1 de sua história. Diante do rival superado nas inesquecíveis quartas de final nacionais do ano passado, o Futebol Feminino do Clube do Povo tinha a chance de escrever mais um feito relevante. O palco para isso, gigante, estava pronto. A jogadora certa? Também, como finalmente percebemos.

Corridos cinco minutos de partida, Duda e Lelê fizeram boa combinação no corredor central do ataque, e a camisa 10, após receber pivô da centroavante, mal precisou levantar a cabeça para encontrar Millene. Livre pela direita, a camisa 14 dominou em cima da risca da grande área e não fez questão de interagir muito com a bola. Pelo contrário, já no segundo toque finalizou forte e rasteiro, por baixo da goleira Carla, que nada pôde fazer. Gol!

O gol da craque/Fotos: João Callegari

Eufórica, Millene nem precisou ouvir o barulho das redes estufadas para começar a correr sem direção pela área paulista. Com efusivos socos no ar, a camisa 14, primeiro, vibrou sozinha, mas logo tratou de convocar as colegas de time para a festa. Enquanto era comemorada por suas amigas, agradeceu aos céus pelo tão sonhado reencontro com as redes, e, por último, ainda chamou as parceiras de ataque, Lelê e Fabi, para a já famosa dancinha diante das câmeras.

“Estava muito ansiosa por esse momento.

Que isso possa acontecer mais vezes,

o Campeonato está competitivo e a vitória é muito importante.”

Millene, após enfrentar o São Paulo
A festa com o gol no Gigante/Foto: João Callegari

Na etapa final, a artilheira seguiu em campo até os 32 minutos, e só foi substituída quando o placar já indicava vantagem de 2 a 0 para o Inter, que marcara o segundo gol com Bruna Benites. Vitoriosas, as Gurias mantiveram os 100% de aproveitamento e encerraram a terceira rodada no topo da tabela do Campeonato Brasileiro. Colocação importante, é claro, mas que em nada satisfaz o interesse de quem tem ambições tão grandes quanto as do Inter.

No próximo domingo (27/03), as Gurias visitarão a Ferroviária, atual vice-líder do Brasil, em Araraquara. Mais uma vez, a vitória será o objetivo do time de Maurício Salgado, que voltará a contar com o poético faro artilheiro da camisa 14 para seguir brilhando no Nacional. Que em 2022, torcemos, Millene repita o 1975 de outro 14, o ídolo Escurinho. Apoio para isso, afinal, não irá faltar. Pra cima delas, braba!

Tamo junto, Millene!/Foto: João Callegari