• Notícias
  • Clube
  • Futebol
  • Serviços
  • Clube de Vantagens
  • Inter Store
    Associe-se

    De Falcão a D’Alessandro: os marcos do Inter em 44 anos de disputa de Libertadores

    Em busca da América! Classificado para a disputa da Conmebol Libertadores após encerrar o Brasileirão de 2019 na sétima colocação, o Inter faz sua estreia na atual edição do principal torneio de clubes do continente nesta terça-feira (04/02), no Estádio Nacional de Santiago, contra a Universidad de Chile. Partida de ida da segunda fase preliminar do campeonato, acontece às 18h, e abre a 13ª participação do Colorado na competição.


    O Inter na Conmebol Libertadores

    Bicampeão da América, o Clube do Povo disputou sua primeira Conmebol Libertadores em 1976. Campeão nacional na temporada anterior, o Colorado comprovou sua vocação pioneira ao fincar a bandeira gaúcha no torneio continental. Primeira equipe do Rio Grande do Sul a conquistar o Brasil, foi também o Inter responsável por iniciar a história de nosso Estado no certame hoje cobiçado por todo o país.

    Na estreia, apesar de dolorosa, a derrota por 5 a 4 para o Cruzeiro entrou para os anais como uma das principais partidas do século XX. Na ocasião, o ponta-esquerda Lula se eternizou como primeiro artilheiro alvirrubro no certame. O triunfo de número um veio na semana seguinte, em confronto diante do Olímpia, do Paraguai. Ramón marcou o único gol da partida. À época, o Inter contava, em seu escrete, com os ídolos Falcão, Valdomiro, Figueroa, Manga, Caçapava e companhia.

    Novamente campeão brasileiro em 1976, o Clube do Povo retornou à Conmebol Libertadores em 1977. Mais experiente, habituado às armadilhas que o torneio apresenta a seus participantes, o Colorado avançou até a fase semifinal, construindo excelente campanha no primeiro quadrangular. A casca latina seguiu sendo alimentada em 1980. Desta vez, o Inter chegou à decisão, tornado-se a primeira equipe gaúcha finalista da competição. Vice-campeão, o Alvirrubro voltou a protagonizar grande caminhada na edição de 1989, e ainda participou do certame em 1993.

    Foi em 2006, contudo, passados 97 anos de sua rica história, que o Internacional chegou ao topo do continente. Capitaneado pelo Eterno Fernandão, embalado pelo endiabrado Rafael Sobis, ao ritmo do colombiano ruque-raque de Rentería e contando com um elenco recheado de ídolos, o Clube do Povo superou, nos grupos, Nacional, Maracaibo e Pumas. Nas oitavas, uma vez mais o adversário foi a equipe uruguaia. Eliminada, viu LDU e Libertad repetirem seu caminho, enquanto, na decisão, quem caiu para a força do Colorado foi o São Paulo, atual campeão mundial. No agregado, 4 a 3. No Beira-Rio, tinha início uma noite até hoje sem fim.

    Vencedor da Recopa em 2007, o Inter não construiu grande campanha na Conmebol Libertadores daquele ano. Frustração que serviu de aprendizado para a edição de 2010, que marcou o retorno alvirrubro à competição. Usando e abusando da força do Beira-Rio, o Clube do Povo passou por cima de Cerro, Emelec, Deportivo Quito, Banfield, Estudiantes e São Paulo até garantir posição na decisão, disputada contra o Chivas. No México, triunfo por 2 a 1. Absoluto, o Colorado tornou a vencer no Gigante, desta vez por 3 a 2, e, assim, garantiu seu segundo trófeu.

    Após a segunda taça, o Inter voltou a figurar nas edições da Conmebol Libertadores em 2011, 2012, 2015 e 2019. Ao todo, o Clube do Povo disputou 120 partidas válidas pelo campeonato, somando 59 vitórias, 32 empates e, ainda, 29 reveses. Já foram 178 os gols marcados, contra 112 sofridos, assim totalizando aproveitamento de 58%.


    Marcos do Colorado como visitante

    Longe de seus domínos, o Inter venceu sua primeira partida de Conmebol Libertadores em 1976. Enfrentando o Sportivo Luqueño, no Paraguai, o Colorado contou com gol do futuro Rei, Falcão, para deixar o campo vitorioso, trazendo na bagagem de volta três pontos marcantes para a história alvirrubra.

    A maior vitória do Inter como visitante em partida da Conmebol Libertadores aconteceu exatamente em duelo contra a Universidad de Chile. Válido pelo returno do Grupo 4 da competição, o embate, ocorrido no Estádio Nacional, em Santiago, foi encerado com goleada colorada pelo placar de 4 a 0. Marcada por show de Nilmar, nome do jogo com dois gols, a partida ainda teve em Valdívia e Sasha seus artilheiros.

    Visitante indigesto, na edição de 2019 da Conmebol Libertadores o Inter alcançou marca notória. Após bater, fora de casa, o Alianza Lima pelo placar de 1 a 0, gol de Moledo, o Clube do Povo chegou à segunda vitória consecutiva fora de seus domínios no torneio, feito, até então, inédito para o Colorado. O triunfo predecessor ocorrera na abertura da fase de grupos, contra o Palestino, no Chile.


    O estreante Clube do Povo

    Das 13 edições em que figurou, em três ocasiões o Colorado estreou com vitória na Conmebol Libertadores. O primeiro triunfo veio em 2010, em partida disputada diante do Emelec, em um Beira-Rio tomado por exatas 39.304 pessoas, que aguentaram o intenso calor, acompanhado de torrencial chuva de verão, sem deixar de cantar nem por um segundo. Incessante, o apoio ignorou o tento de Quiroz, que abriu o placar para os visitantes aos 3 minutos do segundo tempo. Premiado, o povo alvirrubro viu Nei empatar, em uma pintura, aos 7, e só respirou aliviado após gol de Alecsandro, aos 41.

    O Clube do Povo voltou a estrear com vitória em 2012. Enfrentando o Once Caldas no confronto de ida da Pré-Libertadores, o Inter disputou os primeiros 90 minutos do duelo no Beira-Rio, no dia 25 de janeiro. Marcado pelas milhares de manifestações da torcida para D’Alessandro, clamando pela permanência do camisa 10, à época envolvido em negociações com o futebol chinês, o embate serviu de palco, exatamente, para a genialidade do ídolo argentino. De seus pés, aos 12 do primeiro tempo saiu assistência milimétrica para Damião que, de frente para o goleiro, finalizou preciso e balançou as redes da antiga “goleira do Gigantinho”, fazendo explodir as mais de 33 mil pessoas que cantavam no Gigante.

    O último triunfo veio na edição de 2019. Em Santiago, o Inter estreou na fase de grupos enfrentando os chilenos do Palestino. Extremamente disputado em seus 90 minutos, o confronto foi decidido já nos movimentos finais, quando Rafael Sobis, predestinado, surpreendeu a todos cobrando falta pela lateral do campo direto para o gol, anotando o único tento da partida.


    Agora, o Inter busca seu quarto triunfo em partidas inaugurais do mais prestigiado torneio do continente. Novamente na capital chilena, desta vez contra a Universidad de Chile. Confronto previsto para palco histórico do futebol mundial, inicia a caminhada do Colorado em sua 13ª Conmebol Libertadores e já conta com venda de ingressos aberta para a Maior e Melhor Torcida do Rio Grande. Estamos em nosso lugar. Juntos, lutaremos pelo mais alto posto latino. Clube e Povo, libertaremos a América do Sul. É o que pede nossa camisa. É o que diz nossa tradição. Vamo, Inter!