• Notícias
  • Clube
  • Futebol
  • Serviços
  • Clube de Vantagens
  • Inter Store
    Associe-se

    Gurias Coloradas: Retrospectiva 2020

    Fotos: Mariana Capra/Internacional

    Que ano para as Gurias Coloradas! Mesmo com todas as dificuldades que 2020 apresentou ao mundo, o time feminino do Internacional conseguiu trilhar uma campanha histórica nessa temporada. No Brasileirão A1, finalizou a sua jornada na terceira colocação geral, com 33 pontos, chegando até as quartas de final da competição. No estadual, coroou a campanha invicta com a taça do bicampeonato gaúcho. Além de contar, ainda, com um título inédito para o Clube do Povo nas categorias de base, o Brasileirão Sub-16!

    Grupo Forte
    Todas as 27 atletas que formam o plantel colorado entraram em campo neste ano. A rotatividade do elenco permitiu que o grupo se mantivesse entrosado e brigando forte em todas as competições que disputou. A equipe vermelha contou ainda com a juventude do Celeiro de Ases: atualmente oito atletas reveladas pelas categorias de base do Internacional integram o elenco profissional. A goleira Mayara, as laterais Bruninha e Belinha, a zagueira Isa Haas, as meias Julia e Malu e as atacantes Layssa e Jheniffer participaram com grande destaque na campanha colorada.

    “O nosso time muda, mas não sem convicção, nada aleatório. A gente muda com essa ideia de que temos um elenco forte e de que um elenco forte se constrói com todas as atletas em campo atuando. Uma jogadora polivalente demonstra a evolução do futebol, ela entende mais o jogo e aumenta o nosso leque de possibilidades”, afirma o técnico colorado, Maurício Salgado.

    No comando há dois anos, Salgado apresentou as suas credenciais logo no primeiro ano à frente da equipe, quando levou o Colorado até as quartas de final do Brasileirão A1 e ao título gaúcho, de forma invicta, em 2019. “Eu sempre tenho um planejamento, quando chego a uma nova equipe coloco como prioridade onde queremos chegar e, a partir daí, como podemos chegar. Então, logo que eu cheguei no Inter, o primeiro ponto foi a ideia de dar continuidade a um trabalho que já existia e a partir daí ir imprimindo a minha marca pessoal”, afirma o comandante.

    Números que impressionam
    No Brasileirão A1 2020, o Clube do Povo chegou até as quartas de final, sendo a equipe com o segundo melhor ataque. Foram incríveis 42 gols marcados, sendo vazado apenas 18 vezes durante as 17 partidas disputadas. Ao todo, são dez vitórias, quatro empates e três derrotas com 66% de aproveitamento. Na primeira fase, as Gurias Coloradas foram superadas apenas pelos dois times que fecharam a ponta de cima da tabela, Corinthians e Santos, respectivamente. 

    “Fomos a equipe do Campeonato Brasileiro que mais roubou bola no primeiro terço do campo entre todas as equipes que disputavam a competição. Além de ser a equipe que mais gerou finalizações a gol, e isso comprova, primeiro, a excelência do trabalho físico desenvolvido e, segundo, a proposta de jogo que funcionou”, avalia Salgado.

    Normalmente atuando em um 4-3-3 que se adapta ao longo do embate, o esquema colorado impressionou com a sua consistência defensiva, comandada pela experiente capitã Bruna Benites. Com poucos revés ao longo do campeonato, o comandante buscou utilizar suas forças desde a saída de bola, construindo jogadas da defesa ao ataque pelos corredores laterais. A aposta foi na velocidade, impondo acelerado ritmo de jogo, e na antecipação de jogadas através das tomadas de decisão do plantel, o que é comprovado através da grande quantidade de atletas envolvidas nos gols colorados. A equipe, que muitas vezes somou posse de bola superior às rivais, fez o setor ofensivo ser marcado por intensa movimentação.

    “O nosso sistema ofensivo trabalha muito com variações táticas que começam desde a defesa até o ataque e nesse ano demos muita ênfase para os corredores de campo, variações de corredores, preencher espaços e a partir daí incentivar também as tomadas de decisão, deixar que a jogadora possa decidir. A gente busca trabalhar com várias alternativas de jogo de acordo com os adversários”, explica Salgado.

    A artilharia colorada no campeonato ficou com a maior artilheira de todas as edições do Brasileirão Feminino, Byanca Brasil. A camisa nove foi responsável por anotar dez tentos na competição, sendo a segunda colocada na artilharia geral desta edição, e 47 na contagem geral de todas as edições, além de abrilhantar o campeonato com suas lambretas. O pódio ainda é formado por Jheniffer, cria do Celeiro de Ases, que marcou nove gols. O terceiro lugar é de Fabi Simões, que, lesionada na primeira fase da competição, disputou onze embates e balançou as redes em três ocasiões.

    Além disso, os números apontam para a excelência do departamento médico colorado. O Inter foi o time com menos casos de Covid-19 entre as equipes do Brasileirão, o que denota o cuidado das atletas e de todos os profissionais envolvidos. O Colorado é também o grupo com menos lesões graves com necessidade de cirurgias, devido ao ótimo trabalho de preparação física, feito por Suellen Ramos.

    Bicampeonato Gaúcho
    Já no Gauchão, o Clube do Povo finalizou o ano erguendo mais uma vez a taça. O bicampeonato veio de forma invicta, com 100% de aproveitamento. Foram três vitórias nas três partidas disputadas, com um saldo total de 30 gols marcados e apenas um sofrido, caracterizando o melhor ataque e a melhor defesa da competição. 

    As Gurias Coloradas superaram Brasil de Farroupilha e João Emílio na primeira fase para se consagrarem campeãs em um clássico Gre-Nal. Esta foi a segunda taça consecutiva e a nona na história, confirmando a supremacia vermelha, após a vitória por 2 a 1. A artilharia da competição também foi colorada. Byanca Brasil fechou o campeonato com seis gols marcados, sendo um deles na final, e assumiu a primeira colocação, sendo seguida pelas companheiras de equipe Djeni Becker e Jheniffer, com cinco gols cada. 

    “Quem assiste a um jogo do Internacional espera que ele seja sempre o protagonista, esteja sempre com a bola, propondo o jogo, sendo um time agressivo. Esse é o nosso modelo.”, afirma Salgado.  

    O título marcou ainda uma conquista pessoal da camisa sete das Gurias Coloradas, Shashá. No dia 18 de dezembro a atleta se despediu da sua mãe, Sandra Pedrozo, que faleceu devido a complicações de saúde. Dois dias depois, no dia 20 de dezembro, lá estava ela em campo para dedicar a conquista para quem sempre a apoiou. Amparada por toda a equipe, a atacante lutou até o apito final.

    Foto: Adriano Fontes/CBF

    Celeiro de Ases
    Cada vez mais forte, a base colorada vem rendendo frutos para o Clube do Povo e esse foi um ano de conquistas para as Gurias Coloradas Sub-16. Em janeiro, foram as responsáveis por levantar a taça da Libertadores da categoria em uma campanha impressionante. Além de serem líderes do Grupo B, ao todo foram quatro vitórias e um empate, com doze gols convertidos e apenas dois sofridos. O Colorado superou quatro adversários: Liverpool-URU, Seleção Antioquia-COL, Colo-Colo-CHI e Guarani de Fortuna-PAR. Além disso, as Gurias já haviam levantado a taça da Liga de Desenvolvimento CONMEBOL na etapa nacional em 2019. Agora, estão classificadas para a Copa Disney, o Mundial da categoria, que reúne os classificados de cada continente em Orlando, nos Estados Unidos, sem data definida após adiamento devido à pandemia. 

    Por fim, elas encerraram o ano sendo campeãs do Brasileirão Sub-16. Invicto,‌ ‌o‌ ‌Colorado‌ ‌não‌ ‌perdeu‌ ‌nenhum‌ ‌dos‌ ‌jogos‌ ‌que‌ ‌disputou‌ ‌na‌ ‌competição.‌ ‌Foram‌ quatro‌ ‌vitórias‌ ‌e‌ ‌um‌ ‌empate‌ ‌com‌ ‌triunfo‌ ‌nos‌ ‌pênaltis, superando Santos, Audax, Lusaca-BA e Minas Brasília.‌ Ao todo, foram onze‌ ‌gols‌ ‌marcados‌ ‌e‌ ‌apenas‌ ‌um‌ ‌sofrido,‌ ‌com a‌ ‌melhor‌ ‌defesa‌ ‌e‌ ‌o‌ ‌melhor‌ ‌ataque da competição, assim como a equipe profissional. ‌A‌ ‌artilharia‌ ‌colorada foi ‌comandada‌ ‌por‌ ‌Clarinha‌, dona de quatro ‌tentos, e vice-artilheira geral da competição. 

    “O grupo está de parabéns! Fomos a equipe que fez mais gols e sofreu menos gols, não perdemos nenhum jogo, empatamos apenas um, e ganhamos todos os demais. Isso mostra a força que nós temos! Esse foi o primeiro campeonato oficial do ano e conseguimos sair com o título”, destaca David da Silva, técnico da equipe.

    As demais categorias não tiveram seus campeonatos realizados neste ano em decorrência da pandemia, mas carregam na bagagem conquistas importantes, como o estadual Sub-14, 16 e 18 e o Brasileirão Sub-18, em 2019. Além disso, as atletas coloradas são presença frequente nas listas de convocação que compõem as Seleções Brasileiras de base. 

    Buscando fortalecer essa relação base-profissional, os técnicos responsáveis por cada categoria mantém contato constante com Maurício Salgado e a sua comissão técnica, trocando informações sobre as equipes e atletas. A observação e captação é um dos pontos imprescindíveis para Salgado, que se tornou um dos comandantes que mais utilizou atletas da base em competições profissionais neste ano.